“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”
Amyr Klink

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Volubilis e Meknès, Marrocos - Egito e Marrocos 2019

No caminho entre Chefchaouen e Fez passamos por Volubilis e Meknès. Volubilis é o sítio arqueológico mais preservado do Marrocos, foi um entreposto romano e chegou a ter 20.000 habitantes. Os romanos acabaram por abandonar a cidade por volta do ano 280 devido a pressão de tribos berberes mas seus moradores continuaram falando latim até a chegada do Islã ao país. Permaneceu habitada até o séc. XVIII quando suas construções foram derrubadas pelo terremoto de 1.755 que atingiu fortemente Lisboa tendo sido pilhada posteriormente.





terça-feira, 16 de abril de 2019

Fez, Marrocos - Egito e Marrocos 2019

Fez é uma cidade de extrema importância para o Marrocos por ser uma das mais antigas, ser a segunda maior do país atrás somente de Casablanca, ser o local da mais antiga universidade em funcionamento do mundo, ter sido capital até que durante o protetorado francês passou a ser Rabat, entre outras. Teve seu início como um povoamento berbere (povo do deserto) mas quando a Espanha expulsou os muçulmanos do sul do país mais de 8 mil famílias vieram para cá e juntaram-se a famílias árabes da atual Tunísia. Toda essa origem é mostrada na sua herança religiosa, cultural e arquitetônica.

O Marrocos possui 4 cidades imperiais, cidades que foram capitais das antigas dinastias, e Fez é uma delas, sua construção começou em 789 d.C.; as outras são Rabat, a atual capital, Marrakech e Meknès.

Começamos a nossa visita pela cidade explorando a colina que fica à frente das muralhas e onde está uma antiga fortaleza, a Southern Tower, um enorme cemitério  e uma visão geral desta que é considerada a maior medina do mundo árabe.

medina de Fez



Southern Tower

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Chefchaouen, Marrocos - Egito e Marrocos 2019

Esta cidade conhecida como cidade azul foi fundada em 1.471 por um chefe tribal como uma base fortificada, o kasbah, para atacar os portugueses do norte da África. Seu nome era Chaouen que significa "picos", com a ocupação espanhola passou a ser Xaouen e em 1.975 foi renomeada Chefchaouen, "olhe para os picos".  Assim que nos aproximamos da cidade as montanhas Rife sobressaem com seus picos





mas logo somos recebidos por uma porta azul, símbolo da cidade


e começamos a vê-la.



quarta-feira, 10 de abril de 2019

Asilah, Marrocos - Egito e Marrocos 2019

Asilah ou Arzila foi o primeiro local que conhecemos no Marrocos, uma pequena cidade com uma  história turbulenta, fundada pelos Cartagineses foi ocupada pelos romanos, após a derrota dos árabes no sul da Espanha foi ocupada pelos portugueses (1.471) que tomaram seu porto e construíram suas muralhas. Com o desparecimento do rei português D. Sebastião foi ocupada pelos espanhóis que ali ficaram bastante tempo. Em 1.691 foi ocupada por um famoso pirata dos montes Rife, Er-Raissouli, fez parte do protetorado espanhol de 1.911 a 1.956 quando então se tornou marroquina.

Sua maior atração é a medina (que significa cidade mas tem o conceito de parte antiga) rodeada pelas muralhas portuguesas.





Nas muralhas destaca-se a Torre Al Qamra, construída pelos portugueses no séc. XVI pode ser vista fora e dentro da medina.





sábado, 6 de abril de 2019

Abu Simbel, Egito - Egito e Marrocos 2019



Há muitos templos dispersos pelo Egito mas se tem um que vale a pena um deslocamento é o Templo de Abu Simbel, escavado num rochedo no séc. XIII a.C. foi construído para homenagear Ramsés II . Ao lado fica outro templo, o Templo de Hathor, cuja construção foi comandada por Ramsés II para homenagear sua esposa Nefertari, uma dentre as muitas que teve mas cujo nome significa a mais bela.

Ambos os templos seriam submersos pela construção da Grande Barragem, foram então transferidos para um rochedo artificial, um enorme trabalho com a ajuda da Unesco.

Trabalhadores egípcios movendo o busto da Rainha Nefertari para o novo local dos templos gêmeos de Abu Simbel, há cinqüenta anos atrás, uma das maiores operações de resgate arqueológico do mundo (Foto: Stringer/ AFP)
A fachada do Templo de Abu Simbel tem 33 metros de altura e exibe quatro estátuas colossais do faraó Ramsés II no trono com a dupla coroa, a união do Alto e Baixo Egito.

o colosso quebrado perdeu a cabeça e o tronco durante um terremoto no séc. 27 a.C., no alto esculturas de babuínos

quarta-feira, 3 de abril de 2019

Aswan, Egito - Egito e Marrocos 2019

Aswan é uma cidade importante desde o tempo do Império Antigo pela sua localização entre rotas comerciais  e seu próspero mercado. Hoje é uma bela e moderna cidade, para nós foi a mais bonita que conhecemos no país.

moderna ponte sobre o Nilo em Aswan

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Edfu e Kom Ombo, Egito - Egito e Marrocos 2019



Entre Luxor e Aswan visitamos dois templos, o primeiro foi o Templo de Horus em Edfu. Este templo apesar de mais recente, 236 a.C., imita templos muito mais antigos e é o templo ptlomaico (última dinastia) mais bem preservado do país pois ficou soterrado por quase 2.000 anos.

O primeiro pilono com 35 metros de altura mostra cenas de Ptolomeu XII derrotando inimigos, à frente duas estátuas de granito preto do deus-falcão Hórus.




quinta-feira, 28 de março de 2019

Luxor II, Egito - Egito e Marrocos 2019

Nosso segundo dia no navio começou bem cedinho para fazer o passeio de balão; um cafezinho simples no barco que fez a travessia para a outra margem e translado para o local onde os balões estavam inflando, lindo demais....

barco para cruzar o Nilo


adrenalina alta, o passeio ia começar

segunda-feira, 25 de março de 2019

Luxor I, Egito - Egito e Marrocos 2019

O cruzeiro estava parado em Luxor, cidade construída sobre as ruínas de Tebas que foi capital entre 1.550 a 1.069 a.C. De um lado do Nilo, no West Bank, encontram-se o Vale dos Reis, o Vale das Rainhas, os Colossos de Memnon, o Templo de Hatshepsut, o Túmulo dos Nobres, Ramesseum, Medinat Habu, Deir al-Medina, Nova Gurna, Templo de Seti I e a Casa de Howard Carter; mas após o check-in  e o almoço fomos conhecer os dois templos da East Bank, onde o navio estava atracado: Templo de Karnak e Templo de Luxor.

O Templo de Karnak é o maior do Egito, começou a ser construído na 11° Dinastia e nas seguintes foi sendo ampliado.

maquete do Templo de Karnak
entrada do Templo

sexta-feira, 22 de março de 2019

Cairo, Egito - Egito e Marrocos 2019

O dia a mais no Cairo foi para visitar dois centros antigos da cidade, a cidadela de Saladino e o bairro copta. O Egito foi ocupado pelos muçulmanos no ano 641 e as sucessivas dinastias construíram diferentes capitais até que em 1.176 o famoso líder muçulmano Saladino, o mesmo que expulsou os cristãos de Jerusalém, construiu no alto de uma rocha a Cidadela que durante 700 anos foi a sede do governo egípcio. Atualmente é um lugar sem habitantes com mesquitas e museus rodeados por grandes muros.







quarta-feira, 20 de março de 2019

Gizé, Egito - Egito e Marrocos 2019

Gizé é um subúrbio do Cairo onde se encontram a Esfinge construída em 2.500 a.C. protegendo as pirâmides, a única das Sete Maravilhas do Mundo Antigo que sobrou.



segunda-feira, 18 de março de 2019

Mênfis e a primeira pirâmide, Egito - Egito e Marrocos 2019

A crença dos egípcios antigos na vida eterna fez com que desenvolvessem um culto fúnebre e para conservar o corpo do morto desenvolveram técnicas de  mumificação. O corpo era enterrado com tudo o que viesse precisar na nova vida. Inicialmente os faraós eram enterrados em Ábidos  mas depois da unificação do Baixo Nilo (norte) e Alto Nilo (sul) tendo como capital a cidade de Mênfis começaram a preferir serem enterrados na Necrópole de Saqqara, próximo à capital.

Necrópole de Saqqara

quinta-feira, 14 de março de 2019

Introdução - Egito e Marrocos 2019

Desde que assisti ao filme "Os Dez Mandamentos" na minha infância o Egito se tornou um país a ser conhecido; seu império faraônico, único no mundo, o desafio da construção das pirâmides e templos, as múmias; tudo muito diferente e inovador para uma época tão antiga, de 3.000 a.C a 30 a.C. abrangendo 30 dinastias. Mas os problemas atuais do Egito me afastavam até que em 2.011 planejamos conhecê-lo, seria em março mas em janeiro começaram as manifestações da "Primavera Árabe" e desistimos. No ano passado a ideia voltou e a calmaria política atual nos fez ter coragem e começamos o planejamento.

as famosas pirâmides

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Snagov e Bucareste, Romênia - Grécia e Romênia 2018

Nosso último dia de estrada e também vamos falar de Vlad Tepes; antes de chegarmos em Bucareste paramos em Snagov, distante 40 km da capital é um refúgio nos finais de semana pelas atividades aquáticas oferecidas no lago Snagov situado num agradável cenário rural, mas sua fama maior é decorrente do mosteiro construído numa pequena ilha no lago onde estaria a tumba de Vlad Tepes.

O mosteiro do séc. XV só era acessível por barco mas o aumento da procura levou à construção de uma ponte.







terça-feira, 11 de setembro de 2018

Sinaia, Bran e Busteni, Romênia - Grécia e Romênia 2018

Sinaia é uma pequena e aconchegante cidade geralmente visitada por ser o local de um dos castelos mais lindos da Europa, o Castelo de Peles, mas tem muito mais a oferecer. Fizemos um bate-volta a partir de Brasov, pode ser feito também a partir de Bucareste, mas depois de conhecê-la teria preferido dormir por aqui já que se localiza entre as altas montanhas do Parque Bucegi, num clima bem diferente de tudo o que tínhamos visto no país.

Antes de chegarmos passamos pela também simpática Busteni e subimos em direção às montanhas para ver o Monastério Caraiman, mosteiro ortodoxo de 1.998 construído aos pés das montanhas Bucegi que tem no seu centro um pinheiro de formato único.






terça-feira, 4 de setembro de 2018

Brasov, Romênia - Grécia e Romênia 2018

Brasov foi fundada em 1.211 por Cavaleiros da Ordem Teutônica mas sua importância começou quando foi povoada por saxões que a fortificaram e a tornaram um importante centro comercial, nessa época era habitada por saxões, húngaros e romenos.

No seu agradável centro antigo tem destaque a praça principal, Piata Sfatului, com uma fonte central rodeada de edifícios históricos, sempre muito movimentada


























e de onde se vê o letreiro hollywoodiano no Monte Tampa cujo acesso é feito por teleférico. É importante lembrar que nele ficava a antiga cidadela de Brasov que foi destruída por Vlad Tepes, olha ele aí de novo, que de quebra mandou empalar vários mercadores no topo do monte.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Viscri, Mesendorf, Rupea e Rasnov, Romênia - Grécia e Romênia 2018

Neste dia saímos de Sighisoara em direção a Brasov e no caminho percorremos uma grande e bela área rural da Transilvânia passando por fortalezas e igrejas fortificadas.

Cetatea Taraneasca

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Sighisoara, Romênia - Grécia e Romênia 2018

O charme de Sighisoara é seu pequeno centro histórico, o de maior apelo medieval do país, formado por muralhas e torres do séc. XIV construídas pelos saxões, fazendo parte das sete cidadelas muradas desse período. Esse maior charme é visível de longe, torres de vários formatos se sobressaem no alto entre as muralhas.



























quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Bâlea Cascada, Fagaras e Biertan, Romênia - Grécia e Romênia 2018

Saindo de Sibiu nossa parada foi em Sighisoara mas no caminho conhecemos lugares muito legais. Primeiro tentamos mais uma vez percorrer um pouco da Transfagarasan mas só conseguimos ir até o ponto de onde sai o teleférico para o Lago Balea. Quando saímos da cidade a temperatura era de 24°C mas quando começamos a percorrer a estrada mudou tudo, o visual e a temperatura que caiu para 19°C.






segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Sibiu, Romênia - Grécia e Romênia 2018

Sibiu foi a maior e mais rica das sete cidadelas muradas construídas no séc. XII por colonos alemães que eram conhecidos por saxões da Transilvânia. Seu centro histórico mantém a riqueza dos tempos em que o comércio regional era rico e poderoso e apresenta-se dividido em cidade alta, a parte mais rica e comercial onde ficam os principais pontos históricos e cidade baixa, onde ficava a área de produção representada por casas coloridas e ruas de pedras. As outras cidadelas são: Bistrita, Brasov, Cluj, Medias, Sebes e Sighisoara.

O centro da cidade alta é dominado por 3 praças:

Piata Mare ou Grande Praça onde ficam a Igreja Católica Romana e o Palácio Brukenthal