ViajarSempreViajar Headline Animator

“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”
Amyr Klink

segunda-feira, 30 de maio de 2016

A caminho do Lago Bled, Eslovênia - Balcãs 2016

Saindo de Ljubljana nossa primeira parada foi em Skofja Loka, a cidade medieval mais bem preservada do país, há menos de meia hora da capital.




sábado, 28 de maio de 2016

Ljubljana, Eslovênia - Balcãs 2016

A Eslovênia é um país com uma  grande área verde, mais de 50% de seu território,  os eslovenos cultuam a vida ao ar livre e possuem uma grande preocupação ambiental e tudo isso se reflete em sua capital Ljubljana; pequena, verde, com boa vida cultural e uma gracinha...

Seu centro antigo é pequeno e somente para pedestres e se encontra dos dois lados do Rio Liublianica que num pequeno trecho possui 4 pontes sendo a mais famosa a Ponte Tripla, três pontes paralelas entre a Praça Preseren e o Centro Velho.



terça-feira, 24 de maio de 2016

Samobor na Croácia e Otocec na Eslovênia - Balcãs 2016

De posse do nosso carro e após uma noite de descanso num hotel próximo ao aeroporto de Zagreb fomos em direção a Eslovênia e no caminho paramos em Samobor, uma pequena cidade croata há somente 20 km de Zagreb.

Samobor é famosa por sua gastronomia mas também é um retiro frequente para os que vivem na capital e que aqui procuram atividades nas montanhas e nos rios curtindo um ambiente medieval bem preservado.

A  praça principal é a  Kralja Tomislava



segunda-feira, 23 de maio de 2016

Introdução e Zurique - Balcãs 2016

O roteiro por essa região incluía inicialmente parte da antiga Iugoslávia e também a Romênia e seria em setembro de 2015 mas a data do voo coincidiu com a festa de formatura do filhote, como as passagens tinham sido resgatadas com milhas não havia disponibilidade de datas próximas e assim a nova reserva ficou para abril de 2016, retiramos a Romênia para não incluir voos internos e fazermos uma viagem menos corrida.

A grande dificuldade foi alugar um carro que transitasse livremente por todas as fronteiras, a maioria das locadoras impõe limitações tanto a determinadas fronteiras quanto ao número de dias fora do país de locação. Duas locadoras não apresentavam impecilhos, a Avis e a Nova, uma locadora croata; acabamos por escolher a locadora local que nos ofereceu um bom carro, bom atendimento e um preço bem competitivo.

Uma grata surpresa foi a qualidade dos hotéis e a estrutura turística de algumas cidades oferecendo formas alternativas de locomoção para centros de pedestres. Em todos os países encontramos estradas ótimas e bem sinalizadas. Todas as pessoas com quem tivemos algum contato falavam inglês, muitas italiano e foram muito receptivas. Não nos sentimos em risco em nenhum dos locais visitados e, com exceção de Zagreb e Mostar, não vimos pedintes.

Cerca de uma semana antes do início da viagem houve uma mudança de horário dos voos e passamos a ter uma conexão em Zurique de 7 horas, como não conhecíamos a cidade aproveitamos para visitá-la; acesso muito fácil por trem que em menos de 10 minutos te deixa na estação central da cidade, muito próxima aos principais pontos turísticos.

Hauptbahnof, estação central de trens

domingo, 20 de março de 2016

Jericoacoara, Ceará - Brasil 2016

Ano passado comemoramos o aniversário do Carlos em uma praia, a de Jurerê em Florianópolis, como adoramos a experiência resolvemos repetir a dose e a praia escolhida foi a de Jericoacoara no Ceará. A escolha foi baseada na beleza da praia, em ter um hotel pé na areia e proximidade com um centrinho agradável com uma boa oferta de restaurantes.




quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Lisboa - Itália 2015

Para diminuir o cansaço e dar uma quebrada no sempre triste voo da volta ficamos dois dias em Lisboa, cidade sempre acolhedora e que nos faz sentir em casa. Diferente de muitas outras grandes cidades aqui não é necessário contratar um transfer, o aeroporto não é distante do centro, o táxi não é caro e, principalmente,  pode-se confiar nos taxistas.

Escolhemos um hotel diferente, com uma estranha decoração mas com uma localização imbatível na Rua dos Sapateiros, paralela a famosa Rua Augusta,  mesmo no centrão, ficando muito fácil se locomover, ver e comer.











segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Santa Ágata dei Goti, Caserta Vecchia, Santa Maria Cápua Vetere e Itri- Itália 2015

Nossos últimos dois dias na Itália seriam por pequenos vilarejos próximos a Roma, de onde sairíamos em direção a Lisboa. Começamos por Santa Ágata dei Goti, uma cidade também construída sobre um penhasco de tufo, num desfiladeiro vertiginoso sobre o Rio Isclero, para nós o  maior atrativo é sua localização. A cidade foi romana e depois sofreu uma série de invasões, seu nome atual é do séc. VI d.C. quando os godos aqui foram derrotados e autorizados a permanecer em suas fortalezas.





quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Paestum - Itália 2015

Os gregos vindos da cidade de Sybaris na Calábria fundaram Poseidonia no séc. VI a.C. e aqui construiram três magníficos templos com colunas dóricas. Em 273 a.C.os romanos ocuparam a região e mudaram seu nome para Paestum construindo estradas, foruns e teatros. No séc. V d.C. os cristãos converteram um dos templos em igreja. Por volta do séc. IX a cidade foi abandonada e a população quase toda dizimada seja pela malária seja pela invasão de sarracenos. Os templos acabaram sendo encobertos pela mata e a cidade só foi redescoberta no séc. XVIII quando da construção de uma estrada.

Paestum, junto com os templos da Sicília, está na lista das mais bem conservadas ruínas gregas do mundo.


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Tropea - Itália 2015

Ainda na região da Calábria iríamos para Tropea, a "Pérola do Mar Tirreno". Teríamos umas duas horas de estrada até lá e tempo para conhecê-la, só não esperávamos encontrar caminhos estreitos e cheios de mata, vimos até caçadores. Gostamos desse tipo de estrada mas aqui víamos o mar muito abaixo e uma região de mata densa até ele. O pior foi quando encontramos um bloqueio no caminho que fazíamos, ainda bem que no retorno vimos um carro descendo uma pequena rua e por lá fomos... mas foi estressante e ficamos apreensivos e quando chegamos em Tropea almoçamos e fomos descansar. Só visitamos a cidade a noite e no dia seguinte fomos até a bela praia onde fica.

Ficamos num hotel a beira mar, cerca de 10 minutos a pé da cidade, e fomos recompensados com este incrível pôr do sol.







quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Le Castella e Santa Severina

No caminho para o Mar Tirreno escolhemos fazer uma parada numa cidade pouco conhecida, à beira do Mar Jônico, Le Castella. Como muitas cidades da Calábria foi povoada por gregos, romanos, bizantinos e aragoneses e de todos sofreu influências mas a mais marcante foi a aragonesa através do seu imponente castelo. Chegamos num final de sábado, um dia bonito e ensolarado, e não nos cansamos de fotografá-lo...


domingo, 31 de janeiro de 2016

Castelmezzano, Pietrapertosa e Irsina- Itália 2015

Saindo do Mar Adriático iríamos cruzar a Itália em direção a Tropea mas a distância é grande e acrescentamos uma parada em Le Castella passando antes pelas Dolomitas Lucanas, montanhas gigantes no centro da região Basilicata que lembram as Dolomitas da região Trentina ao norte.

Passamos por uma região rural linda e com ótimas estradas





até que começamos a vê-las




quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Polignano a Mare - Itália 2015

Nosso objetivo nesta região da Itália era conhecer Matera que há tempos estava nos nossos planos. Inicialmente pensamos em Bari como cidade base mas após vermos uma foto de um restaurante listado entre os mais bonitos do mundo decidimos por Polignano a Mare e esta foi uma escolha magnífica pois a cidade possui muitos encantos, muito além do restaurante.






segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Matera - Itália 2015

Matera tem dois distritos chamados de "Sassi" que em italiano significa pedras, neles as rochas de material calcário foram escavadas e usadas como moradias. Esse processo teve início no Período Paleolítico e Matera é o único lugar do mundo onde pessoas vivem no mesmo lugar que seus antepassados de períodos tão antigos.