“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”
Amyr Klink

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Sankt Blasien e Lago Titisee, Alemanha - Floresta Negra e Alsácia 2014

Nosso destino era Sankt Blasien, uma pequena cidade alemã, nossa porta de entrada na Floresta Negra que recebeu esse nome por ser formada por altos pinheiros verde escuros que dificultam a entrada de luz.

Floresta Negra
Sankt Blasien cresceu em volta de um mosteiro do séc. IX que foi usado como fábrica, hospital militar durante a II Guerra Mundial e depois disso uma escola jesuíta. Seu maior atrativo é sua abadia beneditina que possui um dos maiores  domos da Europa.


Na bela praça em frente a abadia uma fonte e a Floresta Negra.


Mas é o seu interior que mais agrada, muito grande, todo branco, com enormes colunas ao redor; pena as fotos não  mostrarem toda a beleza do local.






Ao redor muitos jardins, a prefeitura e um relógio solar barroco.


A rua principal segue o curso do Rio Alb com restaurantes e lojas tendo ao fundo a floresta.




Seguimos em direção ao Lago Titisee sempre tendo ao lado a floresta.



O Lago Titisee é o maior lago natural da Floresta Negra e ao seu redor encontramos maravilhosos hotéis, restaurantes e lindas casas. Aqui começamos a encontrar lojas que vendem o famoso relógio cuco.












































Nenhum comentário:

Postar um comentário