“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”
Amyr Klink

domingo, 24 de julho de 2016

Zagreb e Karlovac, Croácia - Balcãs 2016

Finalmente chegamos em Zagreb, capital da Croácia e a nossa última parada. Zagreb é a soma de duas cidades medievais, Kaptol e Gradec, ambas fortificadas com muralhas e separadas por um córrego que foi palco de vários conflitos e que hoje é a Krvavi Most ou Ponte Sangrenta, somente uma lembrança dessa triste época. Hoje as duas formam a Cidade Alta de Zagreg, sua parte histórica, sendo a parte moderna conhecida como Cidade Baixa; ambas se encontram na Praça Bana Jelacic que homenageia um dos governadores da cidade com uma grande estátua sua. Ficamos num hotel nesta praça onde um palco estava sendo montado.






Primeiro conhecemos Kaptol, onde ficam a Catedral, o Palácio do Arcebispo e o Mercado Dolac.
A Catedral é dedicada à Assunção e a São Estevão e já existia em 1.094, passou por várias reconstruções e reformas e hoje possui uma fachada neogótica construída em 1.880. Fica numa praça com uma fonte e uma estátua de Maria, ao lado está o Palácio do Arcebispo que incoporou algumas torres da antiga defesa da cidade.











Entre as antigas cidades medievais fica a Ulica Ivana Tkalcica, rua de pedestres com vários restaurantes e barzinhos.


Se os últimos dias foram chuvosos o nosso último dia de viagem também foi, mal conseguimos explorar Gradec onde ficam os principais edifícios políticos e culturais da cidade. Chegamos até ela pelo funicular considerado o menor em distância do mundo e que funciona há 120 anos.


Dele já avistamos os telhados da cidade.



Ao sairmos vimos a Torre de Lotrscak onde antigamente ficava um sino que anunciava o fechamento dos portões da cidade.


Subindo ao lado da torre logo encontramos a Igreja de Santa Catarina, o mais belo exemplar do barroco na cidade.


Passamos pela Igreja de São Cirilo e São Método, ortodoxa.


para chegarmos na Igreja de São Marcos com seu famoso telhado colorido com os brasões de armas do país. Os edifícios que a rodeiam abrigam o Parlamento e a Presidência da República.





Com a chuva ficando cada vez mais forte começamos a descida passando pelo Portão de Pedra (Kamenita Vrata), o único que restou dos cinco que rodeavam Gradec no séc. XII.


Na Idade Média houve um grande incêndio em Gradec que destruiu toda essa parte da cidade assim como suas muralhas só restando esse portão no qual ficava uma imagem da Virgem Maria com Jesus, a partir daí essa imagem passou a ser venerada e foi construída uma pequena capela, e é esse centro de oração e devoção que encontramos ao passar pelo Portão de Pedra.


O palco que estava sendo montado era para um show musical na noite do nosso último dia de viagem. Assistimos da janela do nosso quarto mas a frequência foi baixa pela chuva e pelo frio.

video


No caminho dos lagos para Zagreb passamos por Karlovac e na estrada vimos veículos militares ao lado de construções em ruínas; acabamos por parar e vimos a seguinte placa



Aqui vai ser construído o Museu da Guerra Civil que assolou a região entre 1.991 e 1.995.













































Nenhum comentário:

Postar um comentário