“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”
Amyr Klink

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Aracaju, Sergipe - Brasil 2020

O destino principal desta viagem foi o Cânion do Xingó, a comemoração o aniversário de 70 anos do Carlos, para isso separamos 10 dias chegando por Aracaju, uma capital que não conhecíamos, depois fomos para Canindé do São Francisco, fronteira Sergipe Alagoas e de onde saem os passeios para o cânion, dormindo na cidade de Piranhas em Alagoas, daqui fomos para Barra de São Miguel curtir belas praias e calmaria, terminando em Maceió. Alugamos um carro pela Localiza e ficamos bem satisfeitos com o atendimento, houve a cobrança de uma taxa por devolução em local diferente da retirada o que é normal.

Infelizmente o Carlos estava resfriado e os nossos dias em Aracaju foram mais para descanso e sua recuperação. A cidade tem uma orla bem agitada pois a faixa de areia é bem larga havendo muitos restaurantes e bares, lagos, o Projeto Tamar, Museu e Oceanário.





Há os famosos arcos



e a Passarela do Caranguejo onde se concentram bons restaurantes.



Um dos passeios mais recomendados na cidade é o da Crôa do Goré, uma ilha que aparece quando a maré está baixa podendo ser acessada por lancha ou catamarã, mas com a gripe do Carlos preferimos algo mais tranquilo e escolhemos um clube na Praia do Mosqueiro, o Dunas Beach; lugar bem agradável e bonito sem consumação mínima, recomendamos.





A praia é boa e a curiosidade foi a presença de um cavalo se banhando...





Outra praia que visitamos foi a Praia do Saco, distante cerca de uma hora de Aracaju na fronteira com a Bahia, é considerada a mais bela praia de Sergipe.







Ainda bem agreste, ao lado de um rio e com muitas dunas sendo melhor explorada num passeio de buggy.









Mas em Sergipe há outros encantos além das praias, cerca de 30 km de Aracaju fica São Cristóvão, chamada de "cidade mãe de Sergipe", a estrada não é muito boa



mas seu patrimônio histórico compensa, primeira cidade fundada em Sergipe, em 1.590, é a quarta mais antiga do Brasil (depois de Salvador, Rio de Janeiro e João Pessoa).



Em 2010 a Praça São Francisco foi eleita Patrimônio da Humanidade, é nela que estão o Cruzeiro, local onde escravos eram açoitados, o Convento e Igreja de São Francisco com colunas trazidas de Portugal.



Ao lado fica o Museu Histórico de Sergipe



Há outras igrejas bem antigas




mas ficamos muito surpresos com a grande quantidade de lixo, descobrimos que no dia anterior havia ocorrido uma romaria.

Um pouco mais a frente, já no caminho para o Cânion do Xingó, por uma estrada bem melhor, fica Laranjeiras, mais uma cidade histórica de Sergipe que teve sua riqueza ligada ao engenho da cana de açúcar sendo, infelizmente, um importante centro de comercialização de escravos; mas o que muito nos agradou foram as duas igrejas mirantes; mais um pouquinho de Portugal...

Primeiro fomos na Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, meio abandonada e com algumas cabras se protegendo do sol,





daqui avistávamos a outra igreja mirante, a Igreja do Senhor do Bonfim e para lá nós fomos;


mais conservada e com um cruzeiro a frente



 lindas vistas da cidade





e da outra igreja que visitamos antes.

















Nenhum comentário:

Postar um comentário